Abridor de Latas Comunicação Sindical

A surpreendente verdade que nunca te contaram sobre design para sindicato

Você quer conquistar os corações dos seus filiados e da
sociedade na luta por mais direitos?

Você quer que seus filiados entendam melhor aquele Projeto
de Lei ou as exclusões na CCT, que vão retirar muitos dos direitos deles?

Então, não tem jeito.

É preciso “desenhar”. Mas o “moleque do design” não vai resolver isso.

Porque o design deve servir para o seu sindicato com uma ferramenta que é parte da estratégia de comunicação e da mobilização da sua categoria.

Design precisa dialogar

Você, assim como eu, com certeza ama uma charge!

Mas preciso lhe contar um segredo, que descobri analisando o alcance das publicações de charges nas redes sociais: charges não resolvem o problema da falta de comunicação.

Charges já não funcionam tanto para atrair. Muito menos para engajar.

Charges ainda funcionam para aquelas pessoas que já são mais esclarecidas, e que já estão envolvidas no dia a dia do sindicato.

Mas, por que será que elas funcionam mais para esse pessoal “de esquerda”?

A resposta é simples.

É porque a linguagem gráfica das charges trabalhistas é mais alternativa. E porque remete às lutas da década de 1980.

Mas que pessoal saudosista, hein… 🥰 😅

Brincadeiras à parte, o que você precisa definir é o objetivo a ser alcançado pelo sindicato.

Se o objetivo é apenas marcar uma posição, então o sindicato pode continuar com esse método de comunicação.

Mas se o sindicato quer se aproximar da base, dialogar e, inclusive, formar os trabalhadores, então o caminho desse percurso passará pelo design.

 

Como é o processo de criação do design

Em outras palavras:

Ele transforma isso

Peça 1 • Ixe

 Descrição da arte: Um menino usa capa amarela e está de costas para a tela. Nas costas dele está escrito Universidade Federal. Na frente dele, há um palhaço sinistro, com a cara do ministro da Educação, Abraham Weintraub. O palhaço segura um balão, no qual está escrito Future-se. A estética deve ser de um cartaz de filme de cinema.

Escrito da arte: Seu doutorado não será o bastante, docente.  
IXE TÁ FEIA A COISA

Slogan: Universidade Federal. Menos terror. Mais valor.

Nisso

Transformando arte em mobilização

Para muitas agências, o trabalho de criação significa transformar palavras em arte.

E, com certeza, elas o fazem muito bem.

Mas para nós, da Abridor de Latas, o design é muito mais que isso.

Ele é uma arma prioritária na luta de classes e na transformação da sociedade.

Ou seja, não adianta apenas ter um bom profissional, que entenda da ferramenta (lembra do “moleque do design”, que falei lá no início?)

Para um sindicato, ter visão política estratégica é fundamental.

E se é isso o que você quer, dirigente, você precisará sempre contar com alguém que oriente minuciosamente esse trabalho na sua entidade.

Aqui na Abridor de Latas, nós fazemos isso também!

Geralmente, o profissional do design não é engajado na luta (e isso não é impeditivo para trabalhar conosco). Contudo, nós o orientamos em um planejamento com 100% de visão política estratégica, e desse modo ele constrói a peça com o efeito desejado.

Enfim, você percebeu que aqui na Abridor de Latas vamos muito além da transformação de palavras em artes, não é mesmo!

Isso porque nosso trabalho é transformar artes de qualidade em engajamento e mobilização.

Mas raramente o designer vai conseguir elaborar a ideia criativa completa, do começo ao fim. É por isso que o trabalho dele está escorado em outros profissionais, especialmente da publicidade e da propaganda. 

Aliás, chega de me alongar nesse assunto. 🙂

Vou te mostrar um pouco do que a gente pode fazer por sua entidade, como logomarcas, infográficos, campanhas, jornais e muito mais:

Design interativo

Após ver alguns de nossos materiais, seus olhos estão brilhando, dirigente!

E com os trabalhadores da sua categoria não é diferente.

Todo mundo gosta de ser bem impactado. De sentir que um material foi feito especialmente para você.

E para que os trabalhadores estejam mobilizados é preciso um longo caminho de convencimento e formação.

Sem dúvida, o design interativo, em conjunto com os textos estratégicos, tem sido uma de nossas armas nessa guerra.

Afinal, com toda a certeza, ninguém discorda que a coisa está feia em nosso país, e não podemos ficar parados.

E é por isso que até o design está se mexendo.

O design interativo, em breves palavras, se preocupa com a interatividade do trabalhador em um sistema, seja ele qual for.

Isso significa que a estratégia está na forma como o usuário vai enviar, receber e responder — ou seja, interagir com as informações contidas no app ou sistema.

Ou seja, a partir dessa ferramenta você envolve o trabalhador a interagir com o sindicato.

Ela serve para a mobilização, mas serve para muito mais. O sistema também permite avaliar como a base pensa de modo geral sobre determinados assuntos, através do quiz e de questionários.

Pode-se usar infográficos animados, games… Uma infinidade de possibilidades!

Concluindo!

Em outras palavras, design não é desenho.

Design não é ilustração.

Design não é leiaute.

Design é projeto.

E, diferentemente do que muitos pensam (inclusive alguns que se intitulam designers), não se trata de fazer a arte pela arte.

O design serve à função e, como tal, o profissional que projeta algo precisa possuir conhecimento em diversas áreas relacionadas àquela específica vertente na qual está trabalhando.

E quando tiver dificuldades, precisará contar com alguém da equipe para “traduzir” a ideia para ele.

No caso do designer de interação, além dos conhecimentos empíricos do design (como tipografia, colorimetria, filosofia, matemática, geometria, antropologia e comportamento), também precisa possuir habilidades específicas em programação de sites, e até em história e negócios da área de Tecnologia da Informação.

Portanto, chega de ignorar. E de ser ignorado

Agora que você já conhece a surpreendente verdade que nunca te contaram sobre design para sindicatos, não pode mais ignorar o quanto ele é essencial para a sua comunicação com a base.

Sim: a vida dos sindicatos tem sido um caos.  

governo contra as universidades federais

Mas é justamente por isso que você, como dirigente, deve se preocupar agora com a cara do seu sindicato.

Esse é o momento para mostrar o quanto você está trabalhando em defesa da base.

Mas, sem um design que turbine isso, todo o seu esforço será em vão. Afinal, os trabalhadores estão nas redes sociais, e é lá que você deve focar sua energia: de forma inteligente, criativa e com muita personalidade.

Então, entre em contato com a gente para conversarmos sobre as melhores estratégias de design para sua entidade.

Mesmo que você já tenha uma equipe para te ajudar, podemos tornar o trabalho ainda mais efetivo!

Ah! E atendemos o Brasil inteiro. 😉.