Mais Transformação

Frases que ainda ouvimos por aí #8 – “Em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”

31 de maio de 2017
Junte-se a mais de 7.000 lideranças

Entre para nossa lista e receba conteúdos sindicais exclusivos e com prioridade

8-frases-que-ainda-ouvimos-por-ai

“Em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”

Um dos ditados populares mais reproduzidos pelos brasileiros é o que diz que “em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”. Com sua origem em um passado extremamente conservador e machista, a frase sugere que ninguém se envolva em problemas de outros casais, por mais graves que sejam.

Muitas vezes, os ditados populares carregam em si uma sabedoria irrefutável, porém esse não é o caso. Essa frase apenas reforça preconceitos e tabus extremamente ultrapassados, mas que, infelizmente, ainda são atuais no inconsciente de parte da população.

É preciso mudar essa visão. Quando o relacionamento está longe de ser saudável e há agressão física, psicológica, moral, cárcere privado ou assédio sexual, é preciso “meter a colher”, sim.

Embora o Brasil tenha avançado muito com a Lei Maria da Penha, os números de agressões ainda são altos. Em 2016, o país registrou 63.090 denúncias de violência contra a mulher, o que corresponde a um relato a cada 7 minutos. Desse total, 85% dos casos aconteceram em ambiente doméstico e familiar.

Os dados assustam, mas seriam ainda maiores se todas as vítimas realizassem a denúncia. Por medo de sofrer novas agressões, muitas pessoas violentadas ainda têm medo, não relatam o abuso e continuam sofrendo nas mãos de maridos e namorados violentos.

Esse é o momento de “meter a colher” e dar um basta na violência. Em nosso país, o pensamento machista que incentiva as agressões contra a mulher é disseminado como se fosse algo normal. Quem não se lembra de Paulo Maluf pedindo aos bandidos: “estupra, mas não mata”, ou de Jair Bolsonaro dizendo para sua colega do plenário que ela “não merecia ser estuprada”?

Ainda há muito para ser feito para que essa mentalidade se altere. Um dos passos mais importantes nesse processo é começar a olhar para as brigas que acabam em agressão e abuso, como um problema de todos nós. Essa conversa de que “isso é coisa de casal” não é mais aceitável. Violência contra a mulher é crime e deve ser punida.

Por que isso acontece?

A violência, em muitos casos, está ligada à visão que as pessoas têm do mundo e das relações humanas. E isso pode começar desde a primeira infância.

Abridor de Latas Comunicação Sindical

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *