Abridor de Latas Comunicação Sindical

Redes sociais como estratégia para alcançar os filiados e a sociedade

Hoje, é provável que a maioria dos sindicatos esteja nas redes sociais, mas o que poucos sabem é que para se alcançar pessoas é preciso muita estratégia.

Ao analisar a comunicação de diversas entidades pelo país percebemos que mais de 90% dos sindicatos não utilizam as redes sociais como uma ferramenta estratégica.

Chegamos a ver sindicatos que chegam a produzir cinco, seis, sete notícias por dia e postam tudo nas redes sociais. O resultado disso: alcance e interação quase zero.

O que adianta produzir tanto se não está chegando nos filiados ou na sociedade?

É melhor publicar uma ou duas matérias no máximo e alcançar as pessoas, do que produzir muito e não chegar a ninguém. Escolha a pauta certeira e alcance a sua categoria.

Pois se você não mudar essa postura imediatamente em seu sindicato, você continuará falando para as paredes.

Também há muitas situações em que o sindicato produz um conteúdo bom, com um visual bem trabalhado, e mesmo assim o alcance é pequeno. É muito comum vermos campanhas interessantes, mas com alcance baixíssimo. Mas se, em vez de alcançar apenas algumas centenas de pessoas, suas postagens alcançassem dezenas de milhares?

Isso é possível!

Dessa forma, investir em redes sociais te dará possibilidades de ser ouvido por sua base. Não é isso que você quer?

Então veja algumas ações que fazemos aqui na Abridor de Latas que podem mudar o rumo do seu sindicato:

Uso das ferramentas corretas

Aqui, na Abridor de Latas, usamos uma grande quantidade de ferramentas para potencializar as redes sociais e alcançar resultados (sim! Somos muito focados em resultados).

Estar nas redes sociais é gratuito, mas ser efetivo e conquistar resultados, não. Essas ferramentas são caras, mas permitem uma quantidade imensa de ações.

Afinal, de que adianta ter uma equipe e produzir conteúdo periódico (que é o mínimo) se as pessoas não recebem esse material. Isso sim é desperdício de tempo e de valiosos recursos (inclusive, de dinheiro).

Você só conseguirá ser visto se estiver analisando constantemente os números e revendo as estratégias.

E sem essas ferramentas, não será possível fazer esse trabalho.

Conhecimento, análise e criatividade é a chave para alcançar os filiados aqui.

Monitorar

Você já imaginou o quanto seria bom se você, dirigente sindical, soubesse como seus filiados estão reagindo nas redes sociais com clareza. Saber se aquela crítica da oposição afeta somente a ela ou se tem voz na categoria. Posso te dizer que isso é possível (e muito mais) com as ferramentas corretas.

Aqui, na Abridor de Latas, fazemos um mapeamento de toda a categoria que interage nas redes sociais, por e-mail ou pelo site.

Onde ela estiver na internet e acesse algo do sindicato podemos mapear todas essas ações.

Nada passa despercebida aos nossos olhos. Tudo são dados e números que ajudam na tomada de decisões.

Mapeamento da categoria

Para além do monitoramento das redes sociais, também fazemos um mapeamento da categoria.

Através das ferramentas que trabalhamos podemos analisar cada pessoa como um indivíduo. Assim quando estamos conversando com uma pessoa, possuímos um relatório em tempo real de todas as interações dela no Facebook, no Instagram, no Youtube e no Twitter.

Com essas informações monitoradas, partimos para algo mais aprofundado que é o mapeamento dessas pessoas.

Com base nessas interações humanas podemos classificar as pessoas e produzir conteúdos personalizados para atender a uma demanda específica.

Esse trabalho é essencial no serviço de formação sindical que temos desenvolvido para as entidades.

Vamos dando passos com determinados grupos, até que eles estejam prontos para avançar.

Ao analisar a base de forma mais ampla, traçamos como será a linguagem geral do sindicato, mas também produzimos textos específicos para fazer com que esse grupo avance na discussão. E também para aqueles que ficaram para trás.

Pensa comigo.

Ninguém acordou pela manhã e achou que Bolsonaro era a solução dos problemas do Brasil. Isso foi planejado e trabalhado por 8 (ou mais) longos anos.

Então isso quer dizer que podemos mudar essa situação. Mas precisamos fazer o trabalho correto e, para isso, é fundamental monitorar e mapear as interações para conseguirmos a transformação da opinião das pessoas.

Planejamento

Com os dados em mãos, agora é hora de planejar aonde se quer chegar.

Sem essas métricas e sem a análise de tudo o que acontece nas mídias do sindicato, o conteúdo produzido acaba por servir mais para agradar o dirigente do que, necessariamente, ser efetivo (ou seja, a linguagem escolhida no texto ou na arte é aquela que o dirigente gosta, mas não necessariamente aquilo que funcionaria com a base).

Sabemos também que essa é uma medida desesperada do dirigente sindical que tenta resolver o problema de alcance da entidade em relação dos filiados, especialmente quando comunicação não apresenta esses avanços.

Para isso, ter uma equipe capacitada é fundamental.

E não se trata de recuar na política, mas de usar de estratégias para se alcançar o objetivo. Por isso, planejar é centro do sucesso.

Por exemplo, se o objetivo é que os filiados estejam mobilizados e lutem por mais reajuste salarial, precisam ser traçados meios para que o seu sindicato tenha sucesso nessa tarefa.

O caminho é acertar na linguagem, na arte e na forma. Vemos muito sindicatos que acham que acham que basta apresentar uma boa ideia e o resultado vai chegar. Mas se fosse assim, nossa realidade seria muito mais fácil, não é mesmo?

Então, sem saber onde quer chegar, é muito difícil conseguir um resultado positivo.

E, nessa conjuntura atual, precisamos pensar que o movimento sindical não tem espaço para errar. Não alcançar esses objetivos pode significar a morte dos sindicatos.

Conteúdos estratégicos

Levantadas as dúvidas e as necessidades da categoria, a equipe de comunicação deve apontar a pauta dos conteúdos e tratar com a diretoria (via de regra, o que acontece é justamente o contrário: a diretoria precisa ficar pensando em pautas e demandar a comunicação. Isso torna o trabalho dos dirigentes cansativo e a comunicação pouco eficaz).

Veja que o processo precisa partir da comunicação. As pautas que precisam ser abordadas devem ser baseadas na demanda vinda de pesquisa e de interação da base ou do público.

Sabendo o que precisa ser feito, agora a tarefa é escrever com emoções, criar textos estratégicos e usar a criatividade.

Análise

Nas redes sociais, cada passo dado pelo usuário pode ser mapeado e compreendido. Daí decorre a importância da análise de métricas e da interação do público, procedimentos fundamentais para avaliar as fraquezas e corrigi-las.

Monitorar o engajamento é muito importante para entender o comportamento de sua base e segmentar as pessoas. Isso deve ser feito por analistas de performance em redes sociais. Com relatórios mais detalhados, é possível traçar estratégias e definir os próximos passos.

Alcance e engajamento

Aqui, na Abridor de Latas, focamos muito no resultado. Por isso, as páginas de redes sociais que gerenciamos alcançam milhões de pessoas todos os anos.

Com as estratégias corretas, multiplicamos o alcance de campanhas em até 100 vezes.

Potencializamos postagens que, em vez de receber algumas dezenas de “curtidas” (a maioria das postagens dos sindicatos não chegam nem a isso), recebem milhares de curtidas, comentários e compartilhamentos.

Você já ouviu falar em “aumentar o engajamento”? Esse é um princípio da comunicação em mídias digitais que consiste em criar estratégias para que os seguidores de uma página interajam com suas publicações, curtindo, comentando e compartilhando.

Dessa forma, a presença virtual do sindicato só se torna forte quando os filiados percebem que aquele é um canal de troca e de diálogo, no qual podem falar livremente com quem os representa. Portanto, a entidade precisa conversar e interagir com os trabalhadores.

Responder a todos

Quem entra em contato com o sindicato espera ser respondido rapidamente. Afinal, pode estar querendo expor problemas sérios, fazer denúncias ou pedir orientações sobre causas urgentes.

Não receber uma resposta da entidade em um momento delicado, quando o apoio do sindicato era indispensável, pode quebrar a confiança do trabalhador de maneira irreversível. Se isso se repetir com várias pessoas, as chances de gerar uma crise são imensas.

Aqui na Abridor de Latas, por exemplo, temos como meta responder a 100% de todas as perguntas feitas aos sindicatos, dando sempre encaminhamento às questões apresentadas.

Em alguns dias, chegamos a responder mais de 800 mensagens, somando Facebook, Instagram e WhatsApp e outras redes.

Um dos problemas é que as redes sociais em si não oferecem meios para monitorar com eficácia todos os comentários e mensagens. Por isso, usamos ferramentas que nos permitem acompanhar tudo o que acontece nas plataformas.

Uma boa saída para evitar confusões nas respostas é definir uma única pessoa para responder as redes do sindicato. Além disso, a disponibilidade deve ser integral em “horário comercial”, para que as respostas não demorem a chegar.

Deixar essa tarefa a cargo de vários diretores ou de pessoas diferentes acaba gerando falta de uniformidade e informações podem ser perdidas. Se ficar com funcionários sem preparo, pode gerar mais problemas do que soluções. Aqui, na Abridor de Latas, por exemplo, temos uma pessoa exclusiva para responder nas redes sociais dos sindicatos que atendemos, em tempo integral.

Isso mesmo. Sua função não é pensar estratégia, não é produzir conteúdo, não é para fazer a arte e nem postar. Sua função é responder com empatia, de forma correta e com agilidade. A diferença que esse trabalho pode fazer na vida do seu sindicato é gigantesca.

Contrate experiência

Para garantir agilidade e resolução das crises em espaços virtuais de forma profissional, muitos sindicatos têm nos procurado para, entre outras ações, gerenciar suas redes sociais.

Para dar conta de tudo isso, é preciso tem muita experiência com movimento sindical, agilidade no pensamento, coerência na formulação de respostas e senso político para saber o peso de cada palavra.

É importante que o trabalho seja alinhado com os valores sociais e políticos defendidos pela sua entidade. Assim, as respostas serão mais adequadas para assuntos delicados (e não causarão problema maiores ainda).

Dê o próximo passo

Aqui, mostramos o quanto as redes sociais são fundamentais, e como gerenciá-las é uma atividade bastante complexa, que pode trazer ótimos frutos para a sua entidade (ou grandes problemas, caso o trabalho não seja bem realizado).

Agora você precisa dar o passo seguinte. Fale conosco e solicite um orçamento para que possamos produzir conteúdos e cuidar integralmente das suas redes sociais. Podemos criar, interagir com os trabalhadores, responder a todos os comentários e traçar estratégias para aumentar o alcance de suas publicações no dia a dia, independentemente de onde você está localizado.