Mais Comunicação

Na guerra digital, sindicatos continuarão usando comunicação analógica?

13 de fevereiro de 2023
Junte-se a mais de 7.000 lideranças

Entre para nossa lista e receba conteúdos sindicais exclusivos e com prioridade

Desde 2016, a guerra digital se intensificou no Brasil, mas os sindicatos continuam fazendo uma comunicação analógica, que gera poucos resultados, tem baixo alcance e quase nenhum impacto. Será que, dessa vez, os dirigentes sindicais entenderão que a comunicação é a arma mais poderosa quem uma entidade sindical pode usar na luta por direitos?

guerra digital sindicatos

Nas três últimas décadas, o mundo vem passando por um acelerado processo de transformação digital que mudou nossas vidas em todos os aspectos.

Hoje, conseguimos fazer compras pelo celular, pedir comida, buscar informações, pagar contas e, principalmente, nos comunicar de forma instantânea.

Tudo isso, que parecia tão promissor para a humanidade, também nos trouxe desafios enormes. Ao mesmo tempo que podemos potencializar as lutas por direitos, há setores que cresceram usando essas tecnologias de forma suja.

Sindicatos na Idade da Pedra?

A imensa maioria do movimento sindical não utiliza o potencial dos avanços tecnológicos para construir suas lutas.

Quando se trata de comunicação, é como se muitas entidades estivessem paradas no tempo.

– Possuem sites com estética ruim e tecnologia defasada, que não se adapta aos celulares e outros dispositivos.

– Produzem pouco conteúdo e quase nunca usam abordagens para conscientizar suas bases

– Produzem material de baixa qualidade e sem criatividade

– Não realizam ações de impacto

– Não aproveitam o potencial gigantesco das redes sociais e outras plataformas digitais.

– Não alcançam e nem dialogam com os trabalhadores

– Não interagem com os usuários nos comentários

– Não interferem na conjuntura

– Não reagem com precisão em situações de conflito

Redes desperdiçadas: “Só postar”

Muitos dirigentes acreditam que as redes sociais servem só para “postar” conteúdos, principalmente os que já estão no site da entidade ou em outras páginas.

Isso é o básico. Mas “só postar” nas redes não garante que o conteúdo vai alcançar as pessoas. Aí mora o perigo, porque as redes naturalmente limitam o alcance dos conteúdos e só garantem a entrega para mais pessoas se houver engajamento.

Aí entra a necessidade de desenvolver estratégias certeiras que vão muito além do trabalho “jornalístico”. É preciso aplicar conceitos de marketing digital, publicidade e propaganda, social media e outras abordagens de comunicação. 

As redes sociais são ferramentas muito complexas, que nos permitem: 

– Conectar o sindicato a um universo enorme de pessoas da categoria representada que ainda não estão conectadas ao sindicato (e que podem vir a se filiar).

– Conscientizar trabalhadores em larga escala

– Promover a formação política da base de forma mais efetiva

– Impactar multidões e influenciar a opinião das pessoas a favor da entidade ou da categoria

Mas nada disso vai acontecer se o sindicato usar as redes só para “postar” coisas. 

Por isso, é necessário implementar diferentes estratégias de comunicação para alavancar a mensagem da entidade.

Por que não te engajas?

A extrema-direita entendeu isso muito mais rápido do que a esquerda.

O extremismo cresceu rapidamente no mundo nos últimos anos por causa das redes sociais, cujas plataformas permitiram disseminar ideias perigosas, preconceitos, medos, paranoias e mentiras em grande volume.

No Brasil, o bolsonarismo, um tipo fanático e messiânico de fascismo, só passou a existir e a crescer por causa das redes sociais e das diferentes plataformas digitais que eles usaram para alcançar e convencer dezenas de milhões de pessoas.

Enquanto multidões de brasileiros passaram a receber diariamente toneladas de mensagens de ódio e, principalmente, fake news, as esquerdas (incluindo os sindicatos) continuaram usando meios analógicos na disputa, acreditando, por exemplo, que entregar um jornal (geralmente com problemas de escrita e de estética) de vez em quando seria suficiente para conscientizar os trabalhadores.

Só que enquanto os sindicatos estão falando de vez em quando com a própria base, muitos trabalhadores estão recebendo mensagens de conteúdo extremista todos os dias.

Como o sindicato pode ter uma comunicação eficaz em tempos de guerra digital

Se os sindicatos não usarem de forma eficiente os meios digitais, estão desperdiçando as ferramentas mais valiosas na luta por direitos no mundo atual. 

Aqui na Abridor de Latas, desenvolvemos ações para alavancar a comunicação dos sindicatos. Aproveitando as potencialidades dos meios digitais, nós oferecemos soluções eficientes para amplificar o alcance e impacto das mensagens dos sindicatos, ajudando-os a se conectar com trabalhadores e outros setores da sociedade, e envolvendo a categoria de forma ativa na luta por direitos.

  1. Alcance: as redes sociais permitem que as mensagens e informações sejam compartilhadas rapidamente com um público maior e mais amplo. Trabalhamos para que os sindicatos ampliem seu alcance e causem impacto de verdade.
  2. Conectividade: as redes sociais ajudam as pessoas a se conectarem, o que é fundamental para o sucesso das lutas sociais. Fazemos a gestão de redes sociais para construir essas conexões, tirando entidades do isolamento e furando as bolhas que afastam as pessoas.
  3. Participação: a comunicação digital permite que os sindicatos estimulem mais a participação ativa dos trabalhadores nas lutas, aumentando a conscientização da categoria. Na Abridor, potencializamos o uso das redes sociais para envolver os trabalhadores e fazer com que eles apoiem o sindicato e participem ativamente das mobilizações.
  4. Rapidez: as redes sociais podem multiplicar a ação sindical. Aqui na Abridor, desenvolvemos processos para que os sindicatos tenham uma dinâmica que garante agilidade e qualidade da comunicação para alavancar as lutas.

Com o avanço da comunicação digital, as pessoas estão recebendo cada vez mais informações todos os dias. 

Mas, se o sindicato não conseguir conquistar a atenção dos trabalhadores, estará limitando seu crescimento e deixando de fortalecer as lutas em defesa da categoria.

Se você deseja revolucionar o seu sindicato, saindo da comunicação analógica (ultrapassada) para um novo patamar de comunicação digital, clique no botão abaixo e fale conosco!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *