Mais Transformação

Frases que ainda ouvimos por aí #22 - “O Sul é meu país”

27 de julho de 2018
Junte-se a mais de 7.000 lideranças

Entre para nossa lista e receba conteúdos sindicais exclusivos e com prioridade

frases-que-ainda-ouvimos-por-ai-22-o-sul-e-meu-pais-site

“O Sul é meu país”

Vivemos um momento de polarização política em que o bom senso e o respeito à diversidade parecem ter evaporado. Por conta dos ânimos exaltados, os brasileiros têm assistido a várias manifestações de preconceito e ódio gratuito. Uma das maneiras de isso se manifestar é com a frase “O Sul é meu país”.

Antes de tudo, é necessário dizer que ideias separatistas não são de hoje. Elas estão em várias regiões do mundo e por motivos diferentes – alguns justos e outros, não. O que diferencia o valor dessas reivindicações é o argumento que as sustenta.

O problema dos adeptos de um separatismo sulista é que eles estão carregados de preconceito. Os defensores da ideia geralmente manifestam ódio e reproduzem estigmas irreais sobre brasileiros de outras regiões, principalmente o Nordeste.

Tanto que o movimento separatista da região Sul se orgulha de disseminar discursos contra programas de inclusão social, como as cotas sociais e raciais nas universidades públicas e o Bolsa Família. Como se essas iniciativas não fossem uma questão de justiça e reparação com populações historicamente marginalizadas.

Como se não houvesse uma exclusão social histórica nos quatro cantos do país. São mais de 500 anos de poder político e econômico concentrados nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

A frase “O Sul é meu país” geralmente vem acompanhada de outra: “Somos nós que sustentamos o Brasil”. Mal sabem essas pessoas que economicamente isso não se sustenta.

Não há dúvidas de que essas frases estão carregadas de preconceito contra os brasileiros que, por muitos anos, se viram obrigados a sair de suas terras em busca de oportunidades mínimas de vida. Brasileiros que se deslocaram do Nordeste e do Norte para construir e desenvolver com muito suor as outras regiões do país. Cidadãos que, quando passaram a ter acesso aos direitos mais básicos, foram chamados de privilegiados.

Por isso, é importante saber: ao reproduzirmos frases como “O Sul é meu país”, estamos compactuando com esse tipo de preconceito. E isso não combina nem um pouco com a diversidade e o acolhimento típicos do povo brasileiro.

Por que isso acontece?

Aquilo que as pessoas falam está ligada à visão que as pessoas têm do mundo e das relações humanas. 

Abridor de Latas Comunicação Sindical

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.