Mais Transformação

Por que os governantes do Brasil estão contra os trabalhadores?

8 de setembro de 2019
Junte-se a mais de 7.000 lideranças

Entre para nossa lista e receba conteúdos sindicais exclusivos e com prioridade

por-que-os-governantes-do-brasil-estao-contra-os-trabalhadores-r

Que resposta você daria à pergunta “Por que os governantes do Brasil estão contra os trabalhadores?”

Para muitas pessoas, ela está na ponta da língua: “Político não serve para nada”.

Essa afirmação representa uma revolta de certa forma compreensível.

Diariamente nós vemos escândalos de corrupção sendo noticiados exaustivamente.

Isso gerou uma crise de representatividade.

Não é de assustar que esse pensamento tenha se alastrado pelo Brasil nas últimas décadas.

Mas será que ele é propositivo o suficiente para estimular a população a buscar soluções concretas para o país?

Ele não seria uma manifestação de despolitização fantasiada de indignação?

Sabemos que o ódio à política nunca trouxe melhorias concretas para a vida dos trabalhadores. Quanto mais genérica é a revolta, mais ela corre o risco de ser um tiro no pé da sociedade.

Por isso, insistimos em dizer que a solução para a política é compreender o funcionamento da própria política, e não rechaçá-la! 🙌

Dito isso, vamos voltar à pergunta: por que os governantes do Brasil estão contra os trabalhadores?

 

De olho nas engrenagens

Não há como responder a essa pergunta sem considerar que os processos políticos são marcados pela disputa entre vários modelos de sociedade. Além disso, é preciso compreender que, na dinâmica do sistema político, as decisões que dizem respeito a todos estão na mão dos representantes de interesses privados.

Aqui, estamos falando especificamente dos políticos financiados pelo grande capital. A indústria, o comércio, o agronegócio, enfim, os capitalistas, dotados de grandes recursos, conseguem criar uma relação de dependência com os governantes e, assim, infiltrar interesses privados na esfera pública.

Já ouviu aquela história de que quem paga a festa escolhe a música?

Então, é mais ou menos assim.

Por meio do financiamento de campanhas, do pagamento de propinas e da compra de votos, as elites transformam em prioridade política os seus projetos, que são totalmente opostos às necessidades da maioria da população. 😏

Para quem os governantes governam?

Não é nada fácil desmantelar essa relação entre os poderes político e econômico. Na maioria dos casos, os governantes são oriundos de oligarquias políticas seculares, que perpetuam essa estrutura de poder há muitas gerações.

Isso não significa dizer que não existam, nas esferas do poder, representantes comprometidos com os direitos e com a dignidade dos trabalhadores. Apesar de serem ínfima minoria, eles estão lá, geralmente tendo que levantar a voz para serem ouvidos.

O que se quer dizer é que a própria engrenagem do sistema político, impregnada pelos interesses mais espúrios dos capitalistas, coloca um empecilho muito grande à luta dos trabalhadores. Não é a voz dele que está representada nesses espaços políticos.

Político não faz nada?

“Políticos não fazem nada” é outra frase comum nas rodas de conversas dos brasileiros. Mas, depois do que foi exposto, dá para dizer que eles realmente passam o dia a ver navios? E o empenho de Michel Temer para aprovar a Reforma da Previdência? E as reuniões intermináveis e sessões do Congresso Nacional realizadas na madrugada com o objetivo de aprovar a Reforma Trabalhista?

Eles estão trabalhando. Só não é em prol dos trabalhadores.😔

Não se trata, portanto, de ineficiência. Trata-se de uma inversão de prioridades típica do capitalismo, em que as decisões políticas ignoram o interesse público e em que os representantes, fiéis escudeiros das elites, trabalham – e muito – para garantir somente a felicidade de seus patrocinadores.

Apesar dessa relação ser óbvia, não é nada fácil convencer a população de que algo está errado. As elites sabem bagunçar o meio de campo e desenvolvem armadilhas para que a população pense que os interesses do capital são idênticos aos do povo.

Essa confusão ideológica se acirrou nos últimos anos, com a crise política e econômica que o país enfrenta.

Diante desse cenário, como garantir que a sociedade compreenda claramente as engrenagens da política e, assim, consiga atuar de forma racional para a transformação social?

A resposta é simples: esclarecimento. Os trabalhadores precisam ter em mente que existe, sim, uma disputa de interesses na sociedade, e que ela se reflete diretamente na vida deles.

E como levar esclarecimento aos trabalhadores?

Um boa comunicação é o melhor caminho para informar, prevenir, alertar e convocar a categoria.

Agora que você já sabe que as elites são mestras em criar armadilhas para tirar a população do foco, é hora de agir!

Usando as estratégias certas na comunicação de seu sindicato, ficará muito mais fácil criar unidade entre os trabalhadores e prepará-los para as lutas que virão.

E isso vai gerar também mais apoio da sua base ao seu sindicato. Todos ganham!

Clique agora no link abaixo ou aqui e baixe nosso e-book gratuito Jogue certo para continuar na luta.

Que tal acessá-lo?

ebook sindicato continuar na luta

Equipe: Abridor de Latas – Comunicação Sindical

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *